A enxaqueca é um tipo de dor de cabeça que atinge cerca de 20% da população feminina brasileira e, para a maioria delas, engravidar diminui os sintomas. Alguns estudos apontam um lado negativo: essas mulheres teriam maiores índices de desenvolvimento de problemas cardiovasculares, como pré-eclampsia, porém, não existe um consenso médico sobre o assunto.

Enxaqueca

Esse tipo de dor de cabeça está associado a dor latejante de um lado da cabeça, enjoo, intolerância a claridade, barulho e odores. Os sintomas costumam durar de 4 a 72 horas e pioram com exercício físico.

As causas exatas da enxaqueca ainda são incertas, mas sabe-se que ela é uma doença hereditária e que há fatores desencadeantes das crises de dor de cabeça, que variam de pessoa para pessoa.

Na gravidez

Durante a gravidez, os níveis de estrógeno (hormônio feminino) se estabilizam e, com isso, as crises costumam diminuir. Muitos até brincam dizendo que o melhor tratamento para enxaqueca é a gravidez, mas quando as crises não diminuem, o tratamento deve ser readaptado, já que muitos dos medicamentos são proibidos durante a gestação.

Outras medidas, como ficar de repouso num quarto escuro, fazer aplicações de bolsa de gelo ou usar técnicas de relaxamento e medidas respiratórias, também podem ajudar. Ioga e acupuntura são recomendadas para diminuir as crises.